terça-feira, 9 de março de 2021

Programação do Grupo de Estudos Entre Monstras e Anormais




O NUSS convida a todas as pessoas interessadas para o grupo de estudos: Entre Monstras e Anormais.

Serão 6 encontros, realizados sempre às segundas-feira, das 19 às 21 horas, com certificado emitido pelo NUSS, para os participantes que cumprirem 75% de presença.


Objetivo:

O objetivo deste grupo é promover uma discussão inicial sobre as corpas anormais e monstruosas. Pensando o corpo como um espaço investido de diversos poderes que carrega em si potencialidades infinitas de resistência, que subvertem, remodelam e também negociam com as ditas “normalidades” na sociedade moderna e contemporânea. 

Dessa forma, vamos discutir sobre autores que dialogam com o duplo (normalidade x anormalidade), bem como as figurações das corpas anormais e monstruosos na arte e no campo estético.

Percorrendo obras de Michel Foucault, Canguilhem, Paul Preciado, Gayle Rubin, Mary Shelley, Robert Louis Stevenson e Jack Halberstam, Julia Kristeva, buscando pensar a relação da normalidade para além da discussão acadêmico filosófica, e trazer as figurações e imaginários sobre a construção dos "monstros", para então debatermos como se configurou isso do qual o senso comum se refere como normalidade. Nessa perspectiva, também se faz pertinente refletir como esses parâmetros do normal e anormal se manifestam nas formas contemporâneas de pensar o corpo, a saúde, o belo e a abjeção, e de que modos tais aspectos são produzidos e reproduzidos na vida social.


Cronograma: 

Encontro 1 - A discussão da normalidade na ciência - 15.03.21

Encontro 2 -  A ascensão á  normalidade. - 22.03.21

Encontro 3 - Monstras e Anormais na Literatura - 29.03.21

Encontro 4  - Abjeção e Arte - 05.04.21

Encontro 5  - Multitudes anormais -  12.04.21

Encontro 6 - As corpas monstruosas e anormais no Brasil de hoje -  19.04.21


Inscrições: enviar um e-mail para nuss.ufc@gmail.com informando seu nome completo e e-mail 

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2021

Programação do grupo de estudos "Caminhos e descaminhos da escrita"

 


Grupo de Estudos: Os caminhos e descaminhos da escrita – NUSS 2020.2


Proposta: O grupo tem como objetivo promover uma discussão sobre a experiência da escrita na vida dos participantes (escrita acadêmica e outras escritas), sendo o debate incentivado por meio da leitura de artigos, capítulos de livros, poesias e contos, de modo a promover uma perspectiva ampla do ato de escrever. Com isso, iremos refletir sobre os atravessamentos que constituem as condições e trajetórias de escrita, tais como corpo, gênero, raça e classe. Além disso, também pensaremos sobre o lugar da criatividade no ato de escrever, da subjetividade inscrita no texto e da escrita enquanto forma de expressão de arte e resistência. Conjuntamente às leituras será proposto a cada encontro um exercício de escrita, como forma de exercício prático, de modo a produzir material que trate das questões suscitadas pelos textos.

Facilitadoras: Marcelle Silva, Rachel D’Amico e Raquel Mesquita

Horário: 19 – 20 horas, às quintas

Frequência: Semanal

Início: 25/02

Término: 01/04

Total de encontros: 6

Inscrições: enviar seu nome completo e e-mail para nuss.ufc@gmail.com


Sugestões de leitura e proposta de exercícios:

25/02 - “Falando em línguas” com Gloria Anzaldúa

ANZALDÚA, Gloria. "Falando em línguas: uma carta para as mulheres escritoras do Terceiro Mundo". Trad. Édina de Marco. Revista Estudos Feministas, v. 8, n. 1, p. 229-236, 2000.

Exercício 1: Qual o lugar da escrita na sua vida?

Quando aprendeu a escrever, foi fácil/difícil? Em que momentos você escrevia ou escreve? Mandava bilhetinhos, escrevia em disparate, diário, caderno de reflexões? Quando chegou na universidade como foi escrever de forma acadêmica? Quais sentimentos você observa em si mesmo quando precisa escrever um texto acadêmico?

 

04/03 – Um diálogo entre Audre Lorde e Ana Cristina Cesar

Prefácio, Introdução e “A transformação do silêncio em linguagem e ação”. In: LORDE, Audre. Irmã outsider: ensaios e conferências. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2019.

Poemas de: CESAR, Ana Cristina. Poética. Companhia das Letras, 2013. 

1⁰ " meia-noite, 16 de junho"(p. 37)

2⁰ - "olho muito tempo...(p. 19)

3⁰ - "18 de fevereiro " (p. 33)

4⁰ - " este livro " ( p. 96)

5⁰ - " onze horas " (p. 145)

6⁰ - " tenho uma folha branca..." (p. 161)

Exercício 2: Reescreva uma poesia/Traga uma poesia recorrente na sua vida/Escreva uma poesia sobre qualquer coisa que atravesse você.

 

11/03 – Pensando as travessias com Paul Preciado

“Crônicas de travessia” e “Carta de um homem trans ao antigo regime sexual”. In: PRECIADO, Paul. Um apartamento em Urano: crônicas da travessia. Rio de Janeiro: Zahar, 2020.

Exercício 3: Escreva uma carta ao seu corpo: o que você gostaria de dizer a ele? Quais histórias seu corpo conta? Como é sua relação com seu corpo? O que a imagem do seu corpo faz você sentir?

 

18/03 – Feminismos e a escrita de si

“Feminismos, artes do viver e escrita de si”. In: RAGO, Margareth. A aventura de contar-se: feminismos, escrita de si e invenções da subjetividade. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2013, pp. 42-59.

Exercício 4: Quem é você na escrita? Escolha um artigo ou trabalho que você escreveu e releia. Agora escreva sobre a sua própria escrita. Você se reconhece no texto que escreveu? Como você aparece na sua própria escrita? Quais marcas do seu “eu” você deixou no texto?

 

25/03 – Um encontro com Tim Ingold

INGOLD, Tim. 2016. Chega de etnografia! A educação da atenção como propósito da antropologia. Educação, v. 39, n. 3, p. 404-411, 2016.

Exercício 5: Registre com seu celular imagens cotidianas simples (objetos, situações), selecione uma e escreva sobre ela: o que ela te faz lembrar? O que te faz sentir? Qual história essa imagem conta? O que você pode aprender com essa imagem?

 

01/04 – Criando mundos possíveis

Exibição do vídeo da Ursula Le Guin + reflexão sobre escrita como criação de mundos possíveis

Exercício 6: Escreva sobre como seria um dia de sua vida “em um outro mundo”. Descreva esse mundo, como seriam as pessoas, as relações, o trabalho desenvolvido pelas pessoas, as formas de lazer, como essas pessoas se vestiriam, como elas se alimentam, quais são os seus dilemas morais? E você: qual posição social ocuparia nesse mundo, quais preocupações teria, o que realizaria?

segunda-feira, 4 de maio de 2020

sexta-feira, 6 de março de 2020

O NUSS convida a todes para o Grupo de Estudos Gênero, Masculinidade e Sexualidade




No próximo dia 16 de março, segunda-feira, inicia o Grupo de Estudos Gênero, Masculinidade e Sexualidade. O grupo acontecerá quinzenalmente às segundas, na sala do Nuss, a partir das 14 horas. Em breve iremos divulgar a ementa do grupo. Para o primeiro encontro, vamos discutir o texto "Masculinidade hegemônica: repensando o conceito", disponível para download no seguinte link: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2013000100014.  

terça-feira, 3 de março de 2020

Grupo de Estudos Corpos e Feminismos Dissidentes




GRUPO DE ESTUDOS
CORPOS E FEMINISMOS DISSIDENTES

Descrição:
Denise Sant’Anna (2006) destaca que o corpo, ainda que seja uma evidência, é um território tanto biológico quanto simbólico, é sempre “biocultural”, sujeito “a transformações nem sempre desejáveis ou previsíveis”. Mergulhado em um mundo de significações, o corpo é um objeto/entidade histórica atravessada por concepções, estereótipos e normas, e essa história é diretamente atravessada pela história dos modelos de gênero e das identidades. Tendo em vista esse cenário, o objetivo deste grupo de estudos é discutir sobre as particularidades dessas histórias, identificar suas interfaces e atravessamentos.

Conteúdo:

O que é um corpo?
18/03 - LE BRETON, D. Sociologia do Corpo. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2007. (Introdução, Cap. IV e V). Disponível em: https://www.academia.edu/26029400/A_sociologia_do_corpo_-_David_Le_Breton
01/04 - LOURO, G. L. (org.). O corpo educado: pedagogias da sexualidade. Autêntica: Belo Horizonte, 2000. Introdução e Cap. 1. Disponível em: https://core.ac.uk/download/pdf/30353576.pdf.
GOLDENBERG, M. (org.). Nu e Vestido: dez antropólogos revelam a cultura do corpo carioca. 2. ed.  Rio de Janeiro: Record, 2007. Capítulo 1. Disponível em: https://www.passeidireto.com/arquivo/1747055/nu-e-vestido-mirian-goldenberg-org-a-civilizacao-das-formas-o-corpo-como-valor.

Teoria social sobre corpos dissidentes
15/04 - GOFFMAN, E. Estigma: notas sobre a manipulação da identidade deteriorada. LTC: 1981. (Cap. 1 e 2). Disponível em: http://www.aberta.senad.gov.br/medias/original/201702/20170214-114707-001.pdf.
FOUCAULT, M. Os anormais. São Paulo: Martins Fontes, 2001. (Seminário de 22 de janeiro de 1975). Disponível em: https://monoskop.org/images/6/62/Foucault_Michel_Os_anormais.pdf.

Dissidências do (no) feminino/feminismos
·         Raça e etnia:
29/04 - Hooks, b. E eu não sou uma mulher? Mulheres negras e feminismos. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2019. (1, 2 e 5). Disponível em: https://plataformagueto.files.wordpress.com/2014/12/nc3a3o-sou-eu-uma-mulher_traduzido.pdf
ANZALDÚA, G. La consciencia de la mestiza/ Rumo a uma nova consciência. Revista Estudos Feministas. Vol. 3. Nº 3. 2005, p. 704-719. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2005000300015>.
·         Estética:
13/05Hooks, b. E eu não sou uma mulher? Mulheres negras e feminismos. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2019. (2 e 5). Disponível em: https://plataformagueto.files.wordpress.com/2014/12/nc3a3o-sou-eu-uma-mulher_traduzido.pdf
HOOKS, b. Olhares negros: raça e representação. São Paulo: Elefante, 2019. (Cap. 1, 4 e 10). Disponível em: https://drive.google.com/drive/u/0/folders/1-nBHKSff-LXcxweXsla7Yr-LTSn_d4NV.
GONZALES, L. Racismo e sexismo na cultura brasileira. Revista Ciências Sociais Hoje, Anpocs, 1984, p. 223-244. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4584956/mod_resource/content/1/06%20-%20GONZALES%2C%20L%C3%A9lia%20-%20Racismo_e_Sexismo_na_Cultura_Brasileira%20%281%29.pdf.

·         Corpos queer:
27/05 - PRECIADO, P. B. Testo Junkie: sexo, drogas e biopolítica na era farmacopornográfica. 1. ed. N-1 edições, 2018. Capítulo 2, 6, 8 e 12. Disponível em: https://libroschorcha.files.wordpress.com/2018/05/testo-yonqui-beatriz-preciado.pdf.
PRECIADO, P. B. Multidões queer: notas para uma política dos “anormais”. Rev. Estud. Fem. vol.19 no.1 Florianópolis Jan./Apr. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-026X2011000100002,
·         Corpos gordes:
10/06 - JIMENEZ JIMENEZ, M. L. Lute como uma gorda: gordofobia, resistências e ativismos. 2020. Tese (Doutorado em Estudos de Cultura Contemporânea) - Programa de Pós-Graduação em Estudos de Cultura Contemporânea, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2020. Disponível: https://documentcloud.adobe.com/link/track/?pageNum=2&uri=urn%3Aaaid%3Ascds%3AUS%3A56c7b40e-031c-4a3e-ae94-452f721fa4b4

Início: 18 de março
Frequência: Quinzenal.
Horário: 15 às 17 horas.
Facilitadoras: Eliana Coelho e Marcelle Silva.
Local: Sala do Nuss (Departamento de Ciências Sociais – UFC).


terça-feira, 11 de junho de 2019

terça-feira, 30 de abril de 2019

Ementas dos grupos de estudos de 2019.1


O gênero da dádiva:
Problemas com as mulheres e problemas com a sociedade na melanésia
Marilyn Strathern


Ementa: O grupo de estudos visa promover discussões teóricometodológicas no campo dos estudos de gênero, sexualidades e feminismo(s), a fim de refletir sobre as diferentes formas de compreender e interpretar realidades diversas, a partir de discursos, práticas e interações constituídas e outorgadas culturalmente através das relações de gênero. Para tanto, pretende-se, a partir da leitura da obra “O gênero da dádiva” de Marilyn Strathern, propiciar reflexões e debates sobre a importância dos estudos de gênero como esteio para a construção e desconstrução de formas de investigação, como a antropologia e dos pressupostos analíticos e políticos do feminismo, que são questionadas pela autora em sua obra. A autora confronta saberes legitimados pela retórica ocidental, tendo a “dádiva” como uma atividade simbólica à qual ecoa seus movimentos interpretativos entre os pontos de vista antropológicos e feministas.

Facilitadorxs: Pesquisadorxs do Nuss.

Dia/horário: Quinta-feita, 13-16 horas.

Calendário

Dia 04/04 – Apresentação do grupo, leitura e discussão da Introdução do livro O gênero da dádiva – Introdução – Estratégias antropológicas. (pags 27-52)

Dia 25/04 – Leitura e discussão - Introdução (cont.) - Um lugar no debate feminista. (pags 53-80)

Dia 09/05 -Leitura e discussão Parte I, ponto 3 - Grupos: Antagonismo sexual nas terras altas da Nova Guiné. (pags 81-114)

Dia 23/05 - Leitura e discussão Parte I, ponto 4 -  Domínios: modelos masculinos e femininos. (pags 115-158)

Dia 06/06– Leitura e discussão Parte I, ponto 5 -  Poder: afirmação e contra afirmações. (pags 159-206)



Sociologia das sexualidades

Ementa: O grupo visa promover discussões teórico-metodológicas no campo das sexualidades e a construção das pesquisas em torno do tema, a fim de compreender diferentes estratégias de interação dos agentes sociais no campo e suas implicações nos modos de produção do conhecimento. Para tanto, pretende-se, a partir da leitura e problematização dos textos, conhecer e compreender os estilos de pesquisa e metodologias utilizadas, bem como os alinhamentos teóricos percorridos na produção das pesquisas.


Facilitadorxs: Pesquisadorxs do Nuss.

Dia/horário: Sexta-feira, 14 - 16 horas.


Calendário

Dia 05/04 – Apresentação do grupo, leitura e discussão do texto VALE, Alexandre Fleming Câmara. Subjetividade Queer e a construção cultural da diferença dos sexos. Tese de doutorado – Universidade Federal do Ceará, Programa de Pós-graduação em Sociologia, 2005. Páginas 61 a 90.

Dia 26/04 – Leitura e discussão do texto PELÚCIO, Larissa. Amor em tempos de aplicativos: masculinidades heterossexuais e a negociações de afetos na nova economia do desejo. 2017. . Tese (livre-docência) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação, 2017.  Páginas 9 a 68.

Dia 10/05 -Leitura e discussão dos textos Facchini, Regina. Vinte anos depois: mulheres, (homo)sexualidades, classificações e diferenças na cidade de São Paulo. In.: Revista Gênero, v. 9, p. 195-223, Niterói, 2008.
Miskolci, Richard. A teoria Queer e a sociologia: o desafio de uma analítica da normalização. In.: Revista Sociologias, ano 11, nº 21, jan/jun, p. 150-182, Porto Alegre, 2009.

Dia 24/05- Leitura e discussão do texto BENTO, Berenice. A Reinvenção do Corpo: sexualidade e gênero na experiência transexual. Rio de Janeiro, Gamond, 2006. Páginas 19 a 39.

Dia 07/06– Leitura e discussão dos textos  BRAZ, Camilo Albuquerque de. “Vestido de Antropólogo”...uma etnografia imprópria. In.: À meia-luz: uma etnografia imprópria dos clubes de sexo masculinos. Tese de doutorado – Universidade Estadual de Campinas, Programa de doutorado em Ciências sociais, 2010. Páginas 13 a 50;
Joca, Alexandre Martins. Entre Anjos: uma etnografia sobre juventudes e sexualidades. In.: Levados por anjos: modos de vida, educação e sexualidades juvenis. 2.ed. Curitiba, CRV, 2016.

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Programação dos grupos de estudos de 2018.2


GRUPO DE ESTUDOS
CULTURAS JOVENS: SOCIABILIDADES E AFETIVIDADES JUVENIS.
ENCONTROS QUINZENAIS, ÀS SEGUNDAS, A PARTIR DAS 10 H
FACILITADORAS: CLARA DA SILVA SOARES E LORENA BRENDA SANTOS NASCIMENTO

Proposta: O grupo de estudos “Culturas Jovens: sociabilidades e afetividades juvenis” buscará promover, a partir de duas pesquisas em andamento, discussões referentes às juventudes inseridas em espaços que viabilizam experiências juvenis para nos fazer pensar as sociabilidades e afetividades de jovens em Fortaleza- CE. Para isso, leremos e problematizaremos textos mais gerais – sobre como se deve dar a busca para o entendimento das juventudes – e textos mais “locais” – cujas pesquisas tiveram como ponto de partida a cidade de Fortaleza-CE.

Bibliografia e calendário:

Mês de Setembro:
17 de setembro: Apresentação da proposta do Grupo de Estudos, leitura e discussão do texto: A construção sociológica da Juventude – alguns atributos de José Machado Pais. Disponível em: http://analisesocial.ics.ul.pt/documentos/1223033657F3sBS8rp1Yj72MI3.pdf

Mês de Outubro:
01 de outubro: Leitura e discussão dos textos: Os jovens de hoje: contextos, diferenças e trajetórias de Regina Novaes; Juventudes, projetos e trajetórias na sociedade contemporânea de Gilberto Velho.

15 de outubro: Leitura e discussão do texto: Buscas de si: expressividade e identidades juvenis de José Machado Pais. Disponível em: https://zahar.com.br/sites/default/files/arquivos//t1020.pdf

29 de outubro: Leitura e discussão do texto: “Zoar” e “ficar”: novos termos da sociabilidade jovem de Maria Isabel Mendes de Almeida.

Mês de Novembro:
12 de novembro: Leitura e discussão do texto: “Culturas Juvenis e Afetividade: Delineando as fronteiras afetivas na cidade” de Camila Holanda Marinho.

26 de novembro: Leitura e discussão do texto: A Cidade dos Anjos: A mistura da cidade na cidade que se mistura de Alexandre Joca. Disponível em: https://www.fcc.org.br/fcc/images/pesquisa/premio_capes/pdf/2013-TESE-AMJOCA.pdf


Referências bibliográficas

PAIS, José Machado. A construção sociológica da Juventude – alguns atributos. Revista Análise Social, vol. XXV, 1990, p. 139-165.
JOCA, Alexandre Martins. A Cidade dos Anjos: A mistura da cidade na cidade que se mistura. In: Levados por Anjos: Modos De Vida, Educação E Sexualidades Juvenis. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2013.
MARINHO, Camila Holanda. Culturas Juvenis e Afetividade: Delineando as fronteiras afetivas na cidade In: Afetos De Rua: Culturas Juvenis E Afetividades Nos Bastidores Da Cidade. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2012.
NOVAES, Regina de. Os jovens de hoje: contextos, diferenças e trajetórias. In: ALMEIDA, Maria Isabel Mendes de; EUGENIO, Fernanda. (orgs.). Culturas Jovens: novos mapas do afeto. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.
VELHO, Gilberto. Juventudes, projetos e trajetórias na sociedade contemporânea. In: ALMEIDA, Maria Isabel Mendes de; EUGENIO, Fernanda. (orgs.). Culturas Jovens: novos mapas do afeto. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.
PAIS, José Machado. Buscas de si: expressividade e identidades juvenis. In: ALMEIDA, Maria Isabel Mendes de; EUGENIO, Fernanda. (orgs.). Culturas Jovens: novos mapas do afeto. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.
ALMEIDA, Maria Isabel Mendes de.  “Zoar” e “ficar”: novos termos da sociabilidade jovem. In: ALMEIDA, Maria Isabel Mendes de; EUGENIO, Fernanda. (orgs.). Culturas Jovens: novos mapas do afeto. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.


Grupo de Estudos
Antropologia da Cultura Material
Encontros SEMANAIS, às TERÇAS, a partir das 10h
mediadora: FÁTIMA FARIAS

Agenda de encontros e bibliografia

25/09 – Introdução à teoria das coisas e ao debate sobre “materialidade”
LEITURA(S) BÁSICA(S):
MILLER, Daniel. Teoria das coisas In: MILLER, Daniel. Trecos, troços e coisas: estudos antropológicos sobre a cultura material, Rio de Janeiro: Zahar, 2013, p. 66-118.
LEITURA(S) COMPLEMENTAR(ES):
MILLER, Daniel. Materiality: an introduction In: MILLER, Daniel. Materiality, Duham and London: Duke University Press, 2005, p. 1-50.
02/10 – Consumo e cultura material: moralidades e emoções no mercado de bens
LEITURA(S) BÁSICA(S):
MILLER, Daniel. Consumo como cultura material. Horizontes antropológicos. vol.13 no.28 Porto Alegre, Jul/Dec. 2007.
SOLIER, Isabelle de. Making the self in a material world: food and moralities of consumption, Cultural Studies Review, v. 19, n. 1, março, 2013.
LEITURA(S) COMPLEMENTAR(ES):
MARTINELI, Fernanda. O original e o fake se encontram na esquina: uma etnografia do consumo nas ruas de Ipanema In: RIAL, Carmem; SILVA, Sandra R.; SOUZA, Angela Maria de. (org). Consumo e cultura material: perspectivas etnográficas, Florianópolis: Ed. Da UFSC, 2012, p. 215-242.
SILVA, Sandra Rubia. De afetos e de memórias: o consumo do telefone celular como “tecnologia afetiva” In: RIAL, Carmem; SILVA, Sandra R.; SOUZA, Angela Maria de. (org). Consumo e cultura material: perspectivas etnográficas, Florianópolis: Ed. Da UFSC, 2012, p. 243-265.
09/10 – Biografia das coisas: potencialidades e limitações
LEITURA(S) BÁSICA(S):
KOPYTOFF, Igor. A biografia cultural das coisas: a mercantilização como processo In: APPADURAI, Arjun. A vida social das coisas: as mercadorias sob uma perspectiva cultural, Niterói: Editora da Universidade Federal Fluminense, 2008, p. 89-121.
RIBEIRO, Magda dos Santos. Por uma biografia das coisas: a vida social da marca Havaianas e a invenção da brasilidade. Etnográfica, vol. 17 (2), 2013.
LEITURA(S) COMPLEMENTAR(ES):
HOSKINS, Janet. Agency, Biography and Objects. In: TILLEY, Chris. et al (org). Handbook of material culture, Los Angeles, London, New Delhi, Singapore, Washington DC: SAGE, 2013, p. 74-84.
16-10 – A vida social das coisas: construções sociológicas da agência não-humana
LEITURA(S) BÁSICA(S):
APPADURAI, Arjun. Introdução: mercadorias e a política de valor In: APPADURAI, Arjun. A vida social das coisas: as mercadorias sob uma perspectiva cultural, Niterói: Editora da Universidade Federal Fluminense, 2008, p. 15-88.
LATOUR, Bruno. Terceira fonte de incerteza: os objetos também agem. In: LATOUR, Bruno. Reagregando o social, Salvador: Edufba, 2012, p. 97-128.
LEITURA(S) COMPLEMENTAR(ES):
LATOUR, Bruno. A historicidade das coisas: por onde andavam os micróbios antes de Pasteur? In: LATOUR, Bruno. A esperança de Pandora: ensaios sobre a realidade dos estudos científicos, São Paulo: Editora Unesp, 2017, p. 173-206.
23/10 – Crítica à materialidade: por uma antropologia dos materiais
LEITURA(S) BÁSICA(S):
INGOLD, Tim. Materiais contra a materialidade. In: INGOLD, Tim. Estar vivo: ensaios sobre movimento, conhecimento e descrição, Petrópoles, RJ: Vozes, 2015, p. 49-69.
___. Quando a formiga se encontra com a aranha: teoria social para artrópodes. In: INGOLD, Tim. Estar vivo: ensaios sobre movimento, conhecimento e descrição, Petrópoles, RJ: Vozes, 2015, p. 144-152.
LEITURA(S) COMPLEMENTAR(ES):
DRAZIN, Adam. To live in materials word. In: DRAZIN, Adam; Küchler (org). The social life of materials: studies in materials and society, London, New York: Bloomsbury Academic, 2015, p. 3-28.
30/10 – O simbólico e o material: embates epistemológicos
LEITURA(S) BÁSICA(S):
STRATHERN, Ann Marilyn. A cultura numa bolsa de malha: a fabricação de uma subdisciplina na antropologia. In: STRATHERN, Ann Marilyn. O efeito etnográfico e outros ensaios, São Paulo: Cosac Naify, 2014.
SENNET, Richard. Consciência material. In: SENNET, Richard. O artífice, Rio de Janeiro, RJ: Editora Record, 2009, p. 137-168.
LEITURA(S) COMPLEMENTAR(ES):
DOMMELEN, Peter van. Colonial matters: material culture and postcolonial theory in colonial situations. In: TILLEY, Chris. et al (org). Handbook of material culture, Los Angeles, London, New Delhi, Singapore, Washington DC: SAGE, 2013, p. 74-84.


GRUPO DE ESTUDOS
CULTURAS JUVENIS NO CONTEXTO ESCOLAR
*CONEXÕES COM OS ESTUDOS DAS SUBCULTURAS GEEK, NERD E OS CONTEXTOS ESCOLARES E SOCIAIS EM QUE ESTÃO INSERIDOS*
ENCONTROS QUINZENAIS, ÀS TERÇAS, DAS 18H-20H
FACILITADORES: ROMÁRIO DA SILVA SANTOS E IARA DANIELE FERREIRA BANDEIRA.

02/10/2018 – Introdução ao debate sobre juventude
Bibliografia básica:
DAYRELL, Juarez. A juventude no contexto do ensino da sociologia: questões e desafios. Ciências humanas e suas tecnologias. Sociologia. Brasília: Ministério da Educação, 2006. Disponível em: < https://drive.google.com/file/d/1BuvVu9dgig6qchSh3G39woXjFeru1W2U/view?usp=sharing>. Acesso em: 07 de agosto de 2018.
MENDONÇA, Sueli G. de L. O novo jovem na velha escola: o necessário diálogo pedagógico e sociológico.  XIV Congresso Brasileiro de Sociologia, Sociedade Brasileira de Sociologia (SBS), Anais. Rio de Janeiro: 2009.  Disponível em: < https://drive.google.com/file/d/1kuIKJG0Bell1louAZ9F7fhv03Ac1iqHT/view?usp=sharing>. Acesso em: 07 de agosto de 2018.

23/10/2018 – Espaço escolar na elaboração de construções e disputas entre as culturas juvenis
Bibliografia básica:
SALES, Shirlei Rezende. Tecnologias Digitais e Juventude Ciborgue: Alguns Desafios Para o Currículo do Ensino Médio. Juventude e Ensino Médio: Sujeitos e Currículos em Diálogo. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014. Disponível em: < https://drive.google.com/file/d/1hf-idUiSNS-O-kA_t8W2tVpI-5y-lJOD/view?usp=sharing >. Acesso em: 07 de agosto de 2018.
VIANA, Maria Luiza. Estéticas, Experiências e Saberes: Artes, Culturas Juvenis e o Ensino Médio. Juventude e Ensino Médio: Sujeitos e Currículos em Diálogo. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014. Disponível em: < https://drive.google.com/file/d/1hf-idUiSNS-O-kA_t8W2tVpI-5y-lJOD/view?usp=sharing >. Acesso em: 07 de agosto de 2018.

06/11/2018 – Construção da identidade da cultura geek
Bibliografia básica:
FEDEL, Agnelo de Souza; SILVA, Josefina de Fátima Tranquilin. Juventude e Cultura Nerd no Brasil: Universos Narrativos. Revista Dito Feito. Curitiba: v. 7, n. 11, julho, 2016. Disponível em: < https://drive.google.com/open?id=1k1tNRzwclBTAmThxAO4y_e-rbq6XLxFR>. Acesso em: 07 de agosto de 2018.
BICCA, Angela Dillmann Nunes; CUNHA, Ana Paula de Araújo; ROSTAS, Márcia Helena Sauaia Guimarães; JAHNKE, Max de Lima. Identidades Nerd/Geek na web: um estudo sobre pedagogias culturais e culturas juvenis. Revista Conjectura. Caxias do Sul: v. 18, n. 1, janeiro, 2013. Disponível em: < https://drive.google.com/file/d/1k1tNRzwclBTAmThxAO4y_e-rbq6XLxFR/view?usp=sharing>. Acesso em: 07 de agosto de 2018.

20/11/2018 – Construção da afetividade no contexto da cultura juvenil geek
Bibliografia básica:
GUERRA, Paula. Culturas urbanas e sociabilidades juvenis contemporâneas: um (breve) roteiro teórico. Revista de Ciências Sociais. Fortaleza: v. 47, n. 1, janeiro, 2016. Disponível em: < https://drive.google.com/file/d/1RbjjfwmihRj1pKYPcHIzCBlgrVfPH2ZR/view?usp=sharing>. Acesso em: 07 de agosto de 2018.
COSTA, Vlad Schüler. Geração Sentimental: A Construção Social do Otaku. Anais do Seminário Nacional da Pós-Graduação em Ciências Sociais – UFES. Espírito Santo: v. 1, n. 1, 2011. Disponível em: < https://drive.google.com/file/d/1bEcMIpdZo0CUxxf2fIDle4s5T4p3zmQN/view?usp=sharing>. Acesso em: 07 de agosto de 2018.

GRUPO DE ESTUDOS DE GÊNERO
OS ESTUDOS DE GÊNERO, AS EMOÇÕES E SUAS TRANSVERSALIDADES
ENCONTROS QUINZENAIS, ÀS QUARTAS, A PARTIR DAS 14 HORAS
FACILITADORXS: DANIELE ALVES, LETICIA PEIXOTO, MARCELLE SILVA E MÁRIO FELLIPE.

Proposta: Esse semestre, propomos discutir a importância das emoções para o campo de estudos de gênero, sexualidade e corpo a partir de um conjunto de textos e de nossas próprias pesquisas. Nesse sentido, o grupo também funcionará como um workshop.

Bibliografia básica e calendário:

26 de setembro: DAS, Veena. O ato de testemunhar: violência, gênero e subjetividade. Cad. Pagu, Campinas ,  n. 37, p. 9-41,  Dec.  2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cpa/n37/a02n37.pdf.
10 de outubro: DAS, Venna.  Testimonio y conocimiento envenenado. In: Sujetos del dolor, agentes de dignidad. Editor. Francisco A. Ortega. Bogotá: Universidad Nacional de Colombia. Facultad de Ciencias Humanas: Pontificia Universidad Javeriana. Instituto Pensar, 2008. Disponível em: http://www.bdigital.unal.edu.co/8285/1/VeenaDas.pdf.

24 de outubro: ILLOUZ, Eva. O amor nos tempos do capitalismo. Zahar, 2011. (Capítulo 3).
7 de novembro: STRATHERN, Marilyn. O gênero da dádiva: problemas com as mulheres e problemas com a sociedade na Melanésia. Campinas: Editora UNICAMP, 2006. (Introdução. p.27-52).
PISCITELLI, Adriana. The gender of the gift. Resenha. Cadernos Pagu (2) 1994: pp. 211-219. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?down=50821.




quarta-feira, 18 de julho de 2018

Seleção de bolsista PIBIC/UFC

O NUSS seleciona bolsista na modalidade IC-Voluntária para desenvolver atividades relacionadas ao Projeto de Pesquisa: "Cultura Cultura afetiva, memória e temporalidade em narrativas biográficas de gays idosos".

Resumo completo da proposta:



Vigência da bolsa: 2018-2019.

INSCRIÇÕES:
Período: 18/07 a 25/07/2018 
Exigência para a bolsa: dispor de 12h semanais para as atividades da pesquisa.

Documentos necessários para a inscrição:
• cópia do histórico escolar e 
• carta de intenções descrevendo o interesse em relação à participação na pesquisa e no NUSS.

Inscrições através do email: nuss.ufc@gmail.com.