quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Programação dos grupos de estudos de 2018.2


GRUPO DE ESTUDOS
CULTURAS JOVENS: SOCIABILIDADES E AFETIVIDADES JUVENIS.
ENCONTROS QUINZENAIS, ÀS SEGUNDAS, A PARTIR DAS 10 H
FACILITADORAS: CLARA DA SILVA SOARES E LORENA BRENDA SANTOS NASCIMENTO

Proposta: O grupo de estudos “Culturas Jovens: sociabilidades e afetividades juvenis” buscará promover, a partir de duas pesquisas em andamento, discussões referentes às juventudes inseridas em espaços que viabilizam experiências juvenis para nos fazer pensar as sociabilidades e afetividades de jovens em Fortaleza- CE. Para isso, leremos e problematizaremos textos mais gerais – sobre como se deve dar a busca para o entendimento das juventudes – e textos mais “locais” – cujas pesquisas tiveram como ponto de partida a cidade de Fortaleza-CE.

Bibliografia e calendário:

Mês de Setembro:
17 de setembro: Apresentação da proposta do Grupo de Estudos, leitura e discussão do texto: A construção sociológica da Juventude – alguns atributos de José Machado Pais. Disponível em: http://analisesocial.ics.ul.pt/documentos/1223033657F3sBS8rp1Yj72MI3.pdf

Mês de Outubro:
01 de outubro: Leitura e discussão dos textos: Os jovens de hoje: contextos, diferenças e trajetórias de Regina Novaes; Juventudes, projetos e trajetórias na sociedade contemporânea de Gilberto Velho.

15 de outubro: Leitura e discussão do texto: Buscas de si: expressividade e identidades juvenis de José Machado Pais. Disponível em: https://zahar.com.br/sites/default/files/arquivos//t1020.pdf

29 de outubro: Leitura e discussão do texto: “Zoar” e “ficar”: novos termos da sociabilidade jovem de Maria Isabel Mendes de Almeida.

Mês de Novembro:
12 de novembro: Leitura e discussão do texto: “Culturas Juvenis e Afetividade: Delineando as fronteiras afetivas na cidade” de Camila Holanda Marinho.

26 de novembro: Leitura e discussão do texto: A Cidade dos Anjos: A mistura da cidade na cidade que se mistura de Alexandre Joca. Disponível em: https://www.fcc.org.br/fcc/images/pesquisa/premio_capes/pdf/2013-TESE-AMJOCA.pdf


Referências bibliográficas

PAIS, José Machado. A construção sociológica da Juventude – alguns atributos. Revista Análise Social, vol. XXV, 1990, p. 139-165.
JOCA, Alexandre Martins. A Cidade dos Anjos: A mistura da cidade na cidade que se mistura. In: Levados por Anjos: Modos De Vida, Educação E Sexualidades Juvenis. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2013.
MARINHO, Camila Holanda. Culturas Juvenis e Afetividade: Delineando as fronteiras afetivas na cidade In: Afetos De Rua: Culturas Juvenis E Afetividades Nos Bastidores Da Cidade. Tese (Doutorado) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2012.
NOVAES, Regina de. Os jovens de hoje: contextos, diferenças e trajetórias. In: ALMEIDA, Maria Isabel Mendes de; EUGENIO, Fernanda. (orgs.). Culturas Jovens: novos mapas do afeto. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.
VELHO, Gilberto. Juventudes, projetos e trajetórias na sociedade contemporânea. In: ALMEIDA, Maria Isabel Mendes de; EUGENIO, Fernanda. (orgs.). Culturas Jovens: novos mapas do afeto. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.
PAIS, José Machado. Buscas de si: expressividade e identidades juvenis. In: ALMEIDA, Maria Isabel Mendes de; EUGENIO, Fernanda. (orgs.). Culturas Jovens: novos mapas do afeto. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.
ALMEIDA, Maria Isabel Mendes de.  “Zoar” e “ficar”: novos termos da sociabilidade jovem. In: ALMEIDA, Maria Isabel Mendes de; EUGENIO, Fernanda. (orgs.). Culturas Jovens: novos mapas do afeto. Rio de Janeiro: Zahar, 2006.


Grupo de Estudos
Antropologia da Cultura Material
Encontros SEMANAIS, às TERÇAS, a partir das 10h
mediadora: FÁTIMA FARIAS

Agenda de encontros e bibliografia

25/09 – Introdução à teoria das coisas e ao debate sobre “materialidade”
LEITURA(S) BÁSICA(S):
MILLER, Daniel. Teoria das coisas In: MILLER, Daniel. Trecos, troços e coisas: estudos antropológicos sobre a cultura material, Rio de Janeiro: Zahar, 2013, p. 66-118.
LEITURA(S) COMPLEMENTAR(ES):
MILLER, Daniel. Materiality: an introduction In: MILLER, Daniel. Materiality, Duham and London: Duke University Press, 2005, p. 1-50.
02/10 – Consumo e cultura material: moralidades e emoções no mercado de bens
LEITURA(S) BÁSICA(S):
MILLER, Daniel. Consumo como cultura material. Horizontes antropológicos. vol.13 no.28 Porto Alegre, Jul/Dec. 2007.
SOLIER, Isabelle de. Making the self in a material world: food and moralities of consumption, Cultural Studies Review, v. 19, n. 1, março, 2013.
LEITURA(S) COMPLEMENTAR(ES):
MARTINELI, Fernanda. O original e o fake se encontram na esquina: uma etnografia do consumo nas ruas de Ipanema In: RIAL, Carmem; SILVA, Sandra R.; SOUZA, Angela Maria de. (org). Consumo e cultura material: perspectivas etnográficas, Florianópolis: Ed. Da UFSC, 2012, p. 215-242.
SILVA, Sandra Rubia. De afetos e de memórias: o consumo do telefone celular como “tecnologia afetiva” In: RIAL, Carmem; SILVA, Sandra R.; SOUZA, Angela Maria de. (org). Consumo e cultura material: perspectivas etnográficas, Florianópolis: Ed. Da UFSC, 2012, p. 243-265.
09/10 – Biografia das coisas: potencialidades e limitações
LEITURA(S) BÁSICA(S):
KOPYTOFF, Igor. A biografia cultural das coisas: a mercantilização como processo In: APPADURAI, Arjun. A vida social das coisas: as mercadorias sob uma perspectiva cultural, Niterói: Editora da Universidade Federal Fluminense, 2008, p. 89-121.
RIBEIRO, Magda dos Santos. Por uma biografia das coisas: a vida social da marca Havaianas e a invenção da brasilidade. Etnográfica, vol. 17 (2), 2013.
LEITURA(S) COMPLEMENTAR(ES):
HOSKINS, Janet. Agency, Biography and Objects. In: TILLEY, Chris. et al (org). Handbook of material culture, Los Angeles, London, New Delhi, Singapore, Washington DC: SAGE, 2013, p. 74-84.
16-10 – A vida social das coisas: construções sociológicas da agência não-humana
LEITURA(S) BÁSICA(S):
APPADURAI, Arjun. Introdução: mercadorias e a política de valor In: APPADURAI, Arjun. A vida social das coisas: as mercadorias sob uma perspectiva cultural, Niterói: Editora da Universidade Federal Fluminense, 2008, p. 15-88.
LATOUR, Bruno. Terceira fonte de incerteza: os objetos também agem. In: LATOUR, Bruno. Reagregando o social, Salvador: Edufba, 2012, p. 97-128.
LEITURA(S) COMPLEMENTAR(ES):
LATOUR, Bruno. A historicidade das coisas: por onde andavam os micróbios antes de Pasteur? In: LATOUR, Bruno. A esperança de Pandora: ensaios sobre a realidade dos estudos científicos, São Paulo: Editora Unesp, 2017, p. 173-206.
23/10 – Crítica à materialidade: por uma antropologia dos materiais
LEITURA(S) BÁSICA(S):
INGOLD, Tim. Materiais contra a materialidade. In: INGOLD, Tim. Estar vivo: ensaios sobre movimento, conhecimento e descrição, Petrópoles, RJ: Vozes, 2015, p. 49-69.
___. Quando a formiga se encontra com a aranha: teoria social para artrópodes. In: INGOLD, Tim. Estar vivo: ensaios sobre movimento, conhecimento e descrição, Petrópoles, RJ: Vozes, 2015, p. 144-152.
LEITURA(S) COMPLEMENTAR(ES):
DRAZIN, Adam. To live in materials word. In: DRAZIN, Adam; Küchler (org). The social life of materials: studies in materials and society, London, New York: Bloomsbury Academic, 2015, p. 3-28.
30/10 – O simbólico e o material: embates epistemológicos
LEITURA(S) BÁSICA(S):
STRATHERN, Ann Marilyn. A cultura numa bolsa de malha: a fabricação de uma subdisciplina na antropologia. In: STRATHERN, Ann Marilyn. O efeito etnográfico e outros ensaios, São Paulo: Cosac Naify, 2014.
SENNET, Richard. Consciência material. In: SENNET, Richard. O artífice, Rio de Janeiro, RJ: Editora Record, 2009, p. 137-168.
LEITURA(S) COMPLEMENTAR(ES):
DOMMELEN, Peter van. Colonial matters: material culture and postcolonial theory in colonial situations. In: TILLEY, Chris. et al (org). Handbook of material culture, Los Angeles, London, New Delhi, Singapore, Washington DC: SAGE, 2013, p. 74-84.


GRUPO DE ESTUDOS
CULTURAS JUVENIS NO CONTEXTO ESCOLAR
*CONEXÕES COM OS ESTUDOS DAS SUBCULTURAS GEEK, NERD E OS CONTEXTOS ESCOLARES E SOCIAIS EM QUE ESTÃO INSERIDOS*
ENCONTROS QUINZENAIS, ÀS TERÇAS, DAS 18H-20H
FACILITADORES: ROMÁRIO DA SILVA SANTOS E IARA DANIELE FERREIRA BANDEIRA.

02/10/2018 – Introdução ao debate sobre juventude
Bibliografia básica:
DAYRELL, Juarez. A juventude no contexto do ensino da sociologia: questões e desafios. Ciências humanas e suas tecnologias. Sociologia. Brasília: Ministério da Educação, 2006. Disponível em: < https://drive.google.com/file/d/1BuvVu9dgig6qchSh3G39woXjFeru1W2U/view?usp=sharing>. Acesso em: 07 de agosto de 2018.
MENDONÇA, Sueli G. de L. O novo jovem na velha escola: o necessário diálogo pedagógico e sociológico.  XIV Congresso Brasileiro de Sociologia, Sociedade Brasileira de Sociologia (SBS), Anais. Rio de Janeiro: 2009.  Disponível em: < https://drive.google.com/file/d/1kuIKJG0Bell1louAZ9F7fhv03Ac1iqHT/view?usp=sharing>. Acesso em: 07 de agosto de 2018.

23/10/2018 – Espaço escolar na elaboração de construções e disputas entre as culturas juvenis
Bibliografia básica:
SALES, Shirlei Rezende. Tecnologias Digitais e Juventude Ciborgue: Alguns Desafios Para o Currículo do Ensino Médio. Juventude e Ensino Médio: Sujeitos e Currículos em Diálogo. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014. Disponível em: < https://drive.google.com/file/d/1hf-idUiSNS-O-kA_t8W2tVpI-5y-lJOD/view?usp=sharing >. Acesso em: 07 de agosto de 2018.
VIANA, Maria Luiza. Estéticas, Experiências e Saberes: Artes, Culturas Juvenis e o Ensino Médio. Juventude e Ensino Médio: Sujeitos e Currículos em Diálogo. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2014. Disponível em: < https://drive.google.com/file/d/1hf-idUiSNS-O-kA_t8W2tVpI-5y-lJOD/view?usp=sharing >. Acesso em: 07 de agosto de 2018.

06/11/2018 – Construção da identidade da cultura geek
Bibliografia básica:
FEDEL, Agnelo de Souza; SILVA, Josefina de Fátima Tranquilin. Juventude e Cultura Nerd no Brasil: Universos Narrativos. Revista Dito Feito. Curitiba: v. 7, n. 11, julho, 2016. Disponível em: < https://drive.google.com/open?id=1k1tNRzwclBTAmThxAO4y_e-rbq6XLxFR>. Acesso em: 07 de agosto de 2018.
BICCA, Angela Dillmann Nunes; CUNHA, Ana Paula de Araújo; ROSTAS, Márcia Helena Sauaia Guimarães; JAHNKE, Max de Lima. Identidades Nerd/Geek na web: um estudo sobre pedagogias culturais e culturas juvenis. Revista Conjectura. Caxias do Sul: v. 18, n. 1, janeiro, 2013. Disponível em: < https://drive.google.com/file/d/1k1tNRzwclBTAmThxAO4y_e-rbq6XLxFR/view?usp=sharing>. Acesso em: 07 de agosto de 2018.

20/11/2018 – Construção da afetividade no contexto da cultura juvenil geek
Bibliografia básica:
GUERRA, Paula. Culturas urbanas e sociabilidades juvenis contemporâneas: um (breve) roteiro teórico. Revista de Ciências Sociais. Fortaleza: v. 47, n. 1, janeiro, 2016. Disponível em: < https://drive.google.com/file/d/1RbjjfwmihRj1pKYPcHIzCBlgrVfPH2ZR/view?usp=sharing>. Acesso em: 07 de agosto de 2018.
COSTA, Vlad Schüler. Geração Sentimental: A Construção Social do Otaku. Anais do Seminário Nacional da Pós-Graduação em Ciências Sociais – UFES. Espírito Santo: v. 1, n. 1, 2011. Disponível em: < https://drive.google.com/file/d/1bEcMIpdZo0CUxxf2fIDle4s5T4p3zmQN/view?usp=sharing>. Acesso em: 07 de agosto de 2018.

GRUPO DE ESTUDOS DE GÊNERO
OS ESTUDOS DE GÊNERO, AS EMOÇÕES E SUAS TRANSVERSALIDADES
ENCONTROS QUINZENAIS, ÀS QUARTAS, A PARTIR DAS 14 HORAS
FACILITADORXS: DANIELE ALVES, LETICIA PEIXOTO, MARCELLE SILVA E MÁRIO FELLIPE.

Proposta: Esse semestre, propomos discutir a importância das emoções para o campo de estudos de gênero, sexualidade e corpo a partir de um conjunto de textos e de nossas próprias pesquisas. Nesse sentido, o grupo também funcionará como um workshop.

Bibliografia básica e calendário:

26 de setembro: DAS, Veena. O ato de testemunhar: violência, gênero e subjetividade. Cad. Pagu, Campinas ,  n. 37, p. 9-41,  Dec.  2011. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cpa/n37/a02n37.pdf.
10 de outubro: DAS, Venna.  Testimonio y conocimiento envenenado. In: Sujetos del dolor, agentes de dignidad. Editor. Francisco A. Ortega. Bogotá: Universidad Nacional de Colombia. Facultad de Ciencias Humanas: Pontificia Universidad Javeriana. Instituto Pensar, 2008. Disponível em: http://www.bdigital.unal.edu.co/8285/1/VeenaDas.pdf.

24 de outubro: ILLOUZ, Eva. O amor nos tempos do capitalismo. Zahar, 2011. (Capítulo 3).
7 de novembro: STRATHERN, Marilyn. O gênero da dádiva: problemas com as mulheres e problemas com a sociedade na Melanésia. Campinas: Editora UNICAMP, 2006. (Introdução. p.27-52).
PISCITELLI, Adriana. The gender of the gift. Resenha. Cadernos Pagu (2) 1994: pp. 211-219. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?down=50821.




quarta-feira, 18 de julho de 2018

Seleção de bolsista PIBIC/UFC

O NUSS seleciona bolsista na modalidade IC-Voluntária para desenvolver atividades relacionadas ao Projeto de Pesquisa: "Cultura Cultura afetiva, memória e temporalidade em narrativas biográficas de gays idosos".

Resumo completo da proposta:



Vigência da bolsa: 2018-2019.

INSCRIÇÕES:
Período: 18/07 a 25/07/2018 
Exigência para a bolsa: dispor de 12h semanais para as atividades da pesquisa.

Documentos necessários para a inscrição:
• cópia do histórico escolar e 
• carta de intenções descrevendo o interesse em relação à participação na pesquisa e no NUSS.

Inscrições através do email: nuss.ufc@gmail.com.

sábado, 5 de maio de 2018

A programação das atividades do semestre 2018.1 já está disponível!


Ementas/Bibliografia/Cronogramas dos grupos de estudos


Grupo de Estudos de Gênero
Coordenação: Marcelle Silva, Letícia Peixoto, Daniele Alves
Tema: Deslocamentos do Feminismo
Periodicidade: quinzenal às quartas-feiras.
Horário dos encontros: 14 às 17 h.
Local: Sala do NUSS – Depto. de Ciências Sociais/UFC.
Início das atividades: 16 de maio de 2018.

Ementa: A cada semestre o grupo de estudos aborda blocos de textos que dialogam com os campos dos estudos de gênero, sexualidade, corpo e feminismos. Nesta ocasião, selecionados um conjunto de textos que promovem reflexões críticas que emergem de dentro destes campos de estudos, lançando um olhar reflexivo sobre as categorias que acionamos como podemos operacionalizar a teoria com a dimensão empírica, pensando as tensões de tais categorias em contextos situados.

Cronograma:

16/05 – Apresentação do grupo. Exibição seguida de debate sobre o filme Eu não sou um homem fácil (FRA/2018). Debate sobre o filme em diálogo com o texto: PISCITELLI, Adriana. Recriando a (categoria) mulher? In: ALGRANTI, L. (Org.). A prática feminista e o conceito de gênero. Textos Didáticos, n. 48. Campinas: IFCH/Unicamp, 2002, p. 7-42.

30/05 – Discussão sobre: ADELMAN, Miriam. Feminismo, pós-colonialismo e novas narrativas sociológicas (cap. 4). In: A Voz e a Escuta: encontros e desencontros entre a teoria feminista e a sociologia contemporânea. Curitiba: Blucher, 2009.

13/06 – Discussão sobre: BALLESTRIN, Luciana Maria de Aragão. Feminismos Subalternos. In: Revista Estudos Feministas, Florianópolis, vol. 25, n. 3,  set.-dez./2017, p. 1035-1054.

27/06 – Exibição e debate sobre o documentário She's Beautiful When She's Angry (EUA/2014).

04/07 – Discussão sobre: SCHMIDT, Simone Pereira. "Teorias feministas e suas 'ligações perigosas': do pós-moderno ao pós-colonial". Comunicação apresentada no VIII Congresso Internacional da ABRALIC. Belo Horizonte, 2002.

Bibliografia básica:

CARRARA, Sérgio. Moralidades, racionalidades e políticas sexuais no Brasil contemporâneo. In: Revista Mana, 2015, vol. 21, n. 2, p. 323-345, 2015.
BALLESTRIN, Luciana Maria de Aragão. Feminismos Subalternos. In: Revista Estudos Feministas, Florianópolis, vol. 25, n. 3,  set.-dez./2017, p. 1035-1054.
MOORE, Henrietta L. Fantasias de poder e fantasias de identidade: gênero, raça e violência. In: Cadernos Pagu, Campinas, n. 14, jun. 2015, p. 13-44 (Dossiê Em torno das coporalidades).
BUTLER, Judith. Regulações de Gênero. In: Cadernos Pagu (42), janeiro-junho de 2014:249-274.
MACHADO, Paula Sandrine. O sexo dos anjos:um olhar sobre a anatomia e a produção do sexo (como se fosse) natural. In: Cadernos Pagu (24), janeiro-junho de 2005, pp.249-281.
PISCITELLI, Adriana. Recriando a (categoria) mulher? In: ALGRANTI, L. (Org.). A prática feminista e o conceito de gênero. Textos Didáticos, n. 48. Campinas: IFCH/Unicamp, 2002, p. 7-42.
ADELMAN, Miriam. Feminismo, pós-colonialismo e novas narrativas sociológicas (cap. 4). In: A Voz e a Escuta: encontros e desencontros entre a teoria feminista e a sociologia contemporânea. Curitiba: Blucher, 2009.
GROSZ, Elizabeth. Corpos reconfigurados. Cadernos Pagu (14). Campinas-SP, Núcleo de Estudos de Gênero-Pagu/Unicamp, 2000, p. 45-86.
SCHMIDT, Simone Pereira. "Teorias feministas e suas 'ligações perigosas': do pós-moderno ao pós-colonial". Comunicação apresentada no VIII Congresso Internacional da ABRALIC. Belo Horizonte, 2002.

Grupo de estudos Antropologia das emoções
Coordenação: Cristian S. Paiva
Tema: Os afetos da memória (melancolia e perda de si).
Periodicidade: quinzenal, às quintas-feiras
Horário dos encontros: 15:30-17:30.
Local: Sala do NUSS – Depto. de Ciências Sociais/UFC
Início das atividades: 17 de maio de 2018
Número de vagas: 10
* Durante a primeira sessão do grupo será apresentado o projeto de pesquisa
(PIBIC/UFC/CNPq): “Pessoa, experiência e temporalidade na vivência da doença de Alzheimer”, coordenado pelo prof. Cristian S. Paiva.

Proposta: O objetivo principal deste grupo de estudos consiste em proporcionar reflexões sobre as relações entre afeto, memória, subjetividades e formas de adoecimento relacionadas à perda de si e ao esquecimento. Partindo do marco teórico da socioantropologia das emoções, faremos um percurso interdisciplinar através de textos clássicos e contemporâneos que discutam essas temáticas. Tomaremos algumas obras literárias, especialmente Grande Sertão: Veredas, como inspiração para problematizar alguns aspectos dos atuais modos de experiência narrativa de si, assim como dos mecanismos de melancolização das subjetividades, especialmente a daqueles apontados como velhos, em curso na contemporaneidade. Como pano de fundo se tenta construir uma alternativa analítica à hegemonia dos saberes médicos sobre as patologias da memória e da perda de si.

Bibliografia:

* As leituras serão indicadas na primeira sessão do grupo.

AGUIAR, Adriano Amaral. A psiquiatria no divã: entre as ciências da vida e a medicalização da existência. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2004.
BERGSON, Henri. Matéria e memória: ensaio sobre a relação do corpo com o espírito. São Paulo: Martins Fontes, 1999.
BIRMAN, Joel. Terceira Idade, subjetivação e biopolítica. História, Ciências, Saúde-
Manguinhos (Impresso), v. 22, 2015.
BIRMAN, Joel. A terceira idade em questão. A Terceira Idade, v. 24, p. 50-68, 2013.
BIRMAN, Joel. O futuro de todos nós: Temporalidade, memória e terceira idade na psicanálise.Estilo e modernidade em psicanálise. São Paulo: Editora 34, 1997.
BIRMAN, Joel. Dor e Sofrimento na Contemporaneidade: sobre o sujeito na modernidade. Trieb (Rio de Janeiro), v. 5, 2006.
CARMELLO, Patricia. Memória e esquecimento no Grande Sertão: Veredas. Travessia e melancolia. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2013.
EHRENBERGH, Alain. La fatigue d'être soi: dépression et société. Paris: Odile Jacob, 1998.
EHRENBERG, Alain. Depressão, doença da autonomia? (Entrevista a Michel Botbol). Ágora v. VII n. 1 jan/jun 2004.
ELIAS, Norbert. A solidão dos moribundos: seguido de envelhecer e morrer. Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 2001.
HALBWACHS, Maurice. A memória coletiva. São Paulo: Vértice, 1990.
HAN, Byung-Chul. Sociedade do cansaço. Petrópolis: Vozes, 2015.
KOURY, Mauro; BARBOSA, Raoni B. Da subjetividade às emoções: a antropologia e a sociologia das emoções no Brasil. Recife: Bagaço; João Pessoa: Edições do GREM, 2015.
KOURY, Mauro; BARBOSA, Raoni B. A vergonha no self e na sociedade. Recife: Bagaço, 2016.
LAPOUJADE, David. Potências do tempo. São Paulo: n-1 Edições, 2017.
LAPOUJADE, David. William James, a construção da experiência. São Paulo: n-1 Edições, 2017.
LE BRETON, David. Tenir: Douleur chronique et réinvention de soi. Paris: Métailié, 2017.
LE BRETON, David. Disparaître de soi: Une tentation contemporaine. Paris: Métailié, 2015.
LE BRETON, David. Antropologia dos sentidos. Petrópolis: Vozes, 2016.
LE BRETON, David. As paixões ordinárias: antropologia das emoções. Petrópolis: Vozes, 2009.
LE BRETON, David. Antropologia da dor. São Paulo: Editora FAP-UNIFESP, 2013.
LIMA, Rossano C. Somos todos desatentos? O TDA/H e a construção de bioidentidades. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2005.
MUCIDA, A. Escrita de uma memória que não se apaga: envelhecimento e velhice. Belo Horizonte: Autêntica, 2009.
NIETZSCHE, Friedrich. Escritos sobre psicologia. Rio de Janeiro: PUC – Rio; São Paulo: Loyola, 2013.
PELBART, Peter Pál. O avesso do niilismo: cartografias do esgotamento. São Paulo: n-1 Edições, 2013.
POLLAK, Michael. Memória, esquecimento, silêncio, In: Estudos Históricos, FGV, Rio de Janeiro, vol. 2, n. 3, 1989.HAN
RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Campinas, Editora da UNICAMP, 2007.
SAFATLE, Vladimir. O circuito dos afetos: corpos politicos, desamparo e o fim do indivíduo. São Paulo: Cosac Naify, 2015.

OBRAS LITERÁRIAS:
BEAUVOIR, Simone de. Uma morte muito suave. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1984.
DURAS, Marguerite. O homem sentado no corredor e A doença da morte. Cosac Naify, 2007.
ROSA, Guimarães. Grande sertão: veredas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1986.
SEIXAS, Heloisa. O lugar escuro: uma história de senilidade e loucura. Rio de Janeiro:
Objetiva, 2007.
MÁRQUEZ, Gabriel G. Memória de minhas putas tristes. Rio de Janeiro: Record, 2004.


Sexualidades digitais
Coordenação: Mário Fellipe Fernandes
Periodicidade: semanal às sextas-feiras.
Horário dos encontros: 14 às 16 horas.
Local: Sala do NUSS – Depto. de Ciências Sociais/UFC.
Início das atividades: 18 de maio de 2018.

Ementa: O grupo visa promover discussões teórico-metodológicas do campo da sexualidade no ciberespaço a fim de compreender diferentes estratégias de interação dos agentes sociais no espaço digital e suas implicações nos modos de se relacionar contemporaneamente. Para tanto, pretende-se, a partir da leitura e problematização dos textos, mapear as formas de organização desses espaços, a gestão das interações digitais e suas implicações na dinâmica da vida desses agentes.

Cronograma:

Dia 18/05 – Apresentação do grupo, leitura e discussão do texto Desejos digitais (Richard Miskolci) páginas 259-288.
Dia 25/05 – Leitura e discussão do texto A cultura da virtualidade real: a integração da comunicação eletrônica, o fim da audiência de massa e o surgimento de redes interativas (Manuel Castels) páginas 413-462. Link: https://perguntasaopo.files.wordpress.com/2011/02/castells_1999_parte1_cap1.pdf

Dia 01/06 - Leitura e discussão do texto Narrativas infiéis: notas metodológicas e afetivas sobre experiências das masculinidades em um site de encontros para pessoas casadas (Larissa Pelúcio) páginas 31-59. Link: https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/cadpagu/article/view/8637318

Dia 08/06 - Leitura e discussão do texto Sociologia Digital: balanço provisório e desafios (Richard Miskolci, Fernando de Figueiredo Balieir). Link: http://www.sbsociologia.com.br/revista/index.php/RBS/article/view/237.


Dia 15/06 – Leitura e discussão do texto Coroas e filhões: gênero, erotismo e geração em relações homossexuais masculinas. Link: http://repositorio.ufc.br/bitstream/riufc/21735/1/2011_eve_acspaiva.pdf.

Dia 22/06 – Leitura e discussão do texto Manifesto ciborgue: Ciência, tecnologia e feminismo-socialista no final do século XX (Donna J. Haraway). P.33-108. Link: https://wp.ufpel.edu.br/franciscovargas/files/2015/03/ANTROPOLOGIA-DO-CIBORGUE.pdf.

Bibliografia Básica (e sugerida)
CASTELLS, M. A Sociedade em rede: A era da informação: economia, sociedade e cultura. São Paulo: Paz e Terra, 2011.v.1.
 GADELHA, Kaciano Barbosa. Para além da pegação: performatividade e espacialidade na produção de materialidades sexuais online. Áskesis - Revista dos Discentes do Programa de Pós Graduação em Sociologia da UFSCar, v. 4, p. 56-73, 2015.
HARAWAY, Donna. Manifesto ciborgue: ciência, tecnologia e feminismo-socialista no final do século XX. In: HARAWAY, Donna et al. Antropologia do ciborgue: as vertigens do pós-humano.  Belo Horizonte: Autêntica, 2009 [1985]
ILLOUZ, E. Intimidades congeladas: las emociones en el capitalismo. Buenos Aires: Katz, 2007.
MISKOLCI, Richard. Desejos digitais: uma análise sociológica da busca por parceiros on-line/ Richard Miskolci. –1. ed. – Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2017.
MISKOLCI, Richard. Balieiro, Fernando de Figueiredo . Sociologia Digital: balanço provisório e desafios. REVISTA BRASILEIRA DE SOCIOLOGIA , v. 6, p. 132-154, 2018.
PAIVA, Crístian. Coroas e filhões: gênero, erotismo e geração em relações homossexuais masculinas. In: Anais do 35º Encontro Anual da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Ciências Sociais (ANPOCS), Caxambu/MG, 2011.
PELUCIO, Larissa. Narrativas infiéis: notas metodológicas e afetivas sobre experiências das masculinidades em um site de encontros para pessoas casadas. Cadernos Pagu, v. 01, p. 31-60, 2015.
SIBILIA, Paula. O show do eu: a intimidade como espetáculo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2008. 286 p.

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Programação do II Ciclo de Pesquisas do Núcleo de Pesquisas sobre Sexualidade, Gênero e Subjetividade (NUSS)





II Ciclo de Pesquisas do Núcleo de Pesquisas sobre Sexualidade, Gênero e Subjetividade (NUSS) – Universidade Federal do Ceará
PROPOSTA: O II Ciclo de Pesquisas do NUSS se constitui como espaço privilegiado para a apresentação e socialização de trabalhos e pesquisas em andamento, conduzidas no âmbito do NUSS. Trata-se de um fórum de discussões temáticas envolvendo as categorias analíticas: corpo, gênero, sexualidade, geração, saúde e subjetividade. Mais do que evento para apresentação de pesquisas concluídas, a metodologia de trabalho no Ciclo se caracteriza como um ateliê, ou uma oficina, isto é, como espaço livre para exposição de dúvidas, impasses e inquietações metodológicas e analíticas encontradas ao longo da investigação in progress, em que o inacabamento se constitui como oportunidade para a aprendizagem coletiva. Neste ano, discutiremos as pesquisas de mestrand@s e doutorand@s do Programa de Pós-Graduação em Sociologia da UFC e do Mestrado Profissional de Sociologia em Rede Nacional (ProfSocio). Também haverá apresentação de pesquisas de Iniciação Científica (PIBIC) e de Estágio Pós-Doutoral. Contaremos, ainda, com a participação da professora Maria Cristina Bunn, da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), que atualmente desenvolve no NUSS atividades de capacitação. No final do Ciclo haverá a divulgação dos grupos de estudos do NUSS para 2018.

PROGRAMAÇÃO:
Dia 25 de abril (quarta-feira)
 14:00 – Abertura do Ciclo – Coordenação do NUSS
14:10 – Experiências de estágio pós-doutoral: Exposição: Professora Manuela Barros (UECE) e Professor Francisco Barros Júnior (UFPI)
15:20 – Painel de Pesquisas 1: A tese work in progress (Emmanuelle Alves e Marcelle Silva)
16:20 – Coffee break
16:30 – Painel de pesquisas 2: A tese e o texto de qualificação (Daniele Alves, Letícia Fernandes)
17:20 – Painel de pesquisas 3: A dissertação e o texto de qualificação (Rafael Viana, Eleonardo Braga)

Dia 26 de abril (quinta-feira)
14: 00 – Exposição: Professor Martinho Tota (UFC)
14: 30 – Um experimento com o cinema: discutir velhice e doença a partir de narrativas fílmicas – sobre a pesquisa PIBIC (Iana Bezerra e Cristian S. Paiva)
15:00 – Intervenção: Dialogando sobre culturas afetivas e envelhecimento (professora Maria Cristina Bunn (UFMA). Projeção do Documentário: " Quilombo Manival"
15:20 – Painel de Pesquisas 3: A tese work in progress (Fátima Farias e Ismênia Holanda)
16:00 – Coffee break
16:10 – Painel de Pesquisas 4: Em torno do projeto (Mário Fellipe Fernandes, Clara Soares e Lorena Santos)
16:50 – Painel de Pesquisas 5: Desafios da pesquisa no mestrado profissional (Romário Silva, Iara Danielle Bandeira e Fernanda Rocha)
 17:50 – Encerramento: Divulgação da Programação dos grupos de estudo NUSS 2018.

LOCAL:
Sala de Reuniões do Departamento de Ciências Sociais (2. andar)
Departamento de Ciências Sociais
Universidade Federal do Ceará


terça-feira, 3 de outubro de 2017

Nuss promove Tela Sociológica em comemoração dos 10 anos do núcleo



TELA SOCIOLÓGICA MOSTRA VELHICES E DOENÇA NO CINEMA. O Sociólogo vai ao cinema. Acessar os mais variados temas pela via da linguagem cinematográfica é uma proposta metodológica que vem ganhando espaço nas Ciências Sociais. O olhar cinematográfico, em relação dialógica com uma visão socioantropológica, amplia e complexifica as nossas análises sobre os objetos das nossas pesquisas. Na trilha aberta por tal caminho metodológico, propomos a realização de uma série de exibições cinematográficas com filmes que focalizam o processo de envelhecimento e as doenças a ele associadas, destacando o Mal de Alzheimer. Em tela, os seus desdobramentos subjetivos lidos pelas lentes dos cineastas. Apresentamos um recurso humanístico para a formação sociológica que, ao aproximar Ciência e Arte, expõe uma multiplicidade de discursos sobre as temáticas selecionadas. Os encontros objetivam promover discussões ancoradas nas diversas referencias teóricas, procedentes dos vários saberes, sobre as questões levantadas pelos textos fílmicos exibidos. Após a exibição de cada filme abriremos espaço para um debate sobre o conteúdo da obra fílmica apresentada.


Responsáveis pela atividade: prof. dr. Francisco Barros Júnior (UFPI); prof. dr. Cristian S. Paiva (UFC) e Iana Bezerra (UFC)